Nas atividades do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações, a quarta-feira (4) é dedicada ao Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), unidade de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). E para falar do papel determinante que a instituição desempenha no Brasil, o diretor do Cemaden, Osvaldo Moraes. “Uma alegria muito grande abrir as portas do Cemaden para levar a toda a população brasileira informações sobre nossa instituição, sobre o que fazemos, como e por quê”.

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais tem como missão realizar o monitoramento das ameaças naturais em áreas de riscos em municípios brasileiros suscetíveis à ocorrência de desastres naturais. O Cemaden realiza também pesquisas e inovações tecnológicas que possam contribuir para a melhoria do seu sistema de alerta antecipado – com o objetivo de reduzir o número de vítimas fatais e prejuízo material em todo o país.

“O Cemaden foi criado em 2011, logo depois daquele desastre histórico que teve na região serrana do Rio de Janeiro, em que mais de mil pessoas perderam as vidas. O custo econômico estimado pelo Banco Mundial [decorrente do desastre natural] foi superior a 5 milhões de reais. Aquele ano representou uma mudança de paradigma. O Brasil reconheceu que precisava ter uma instituição que pudesse emitir alertas antecipados para as defesas civis com o objetivo de preservar, principalmente, vidas”, destacou Osvaldo Moraes.

O diretor explicou que um desastre natural envolve vulnerabilidade – principalmente, no caso do Brasil – vulnerabilidade social. Segundo ele, envolve também capacidade de proteção, de conhecimento do risco e envolve educação. “E o Cemaden é tudo isso”, disse.

“Então, quando eu digo que o Cemaden monitora 958 municípios, eu estou querendo dizer que nós monitoramos mais de 40 mil áreas de risco no Brasil. E nessas 40 mil áreas de risco no Brasil vivem 10 milhões de pessoas aproximadamente”, esclareceu o diretor.

O Cemaden trabalha para identificar o risco a que essa população altamente vulnerável está exposta. E emite alertas antecipados para as defesas civis dessas localidades.

O Cemaden tem a missão de realizar, em âmbito nacional, o monitoramento contínuo das condições geo-hidrometeorológicas, para o envio de alertas de riscos de desastres naturais, quando observadas condições que produzam risco iminente de ocorrência de processos geodinâmicos (movimento de massa) e hidrológicos (inundação e/ou enxurrada).

O diretor Osvaldo Moraes apontou que, “o Cemaden é uma instituição que está ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações porque nós fazemos ciência, nós temos alta tecnologia para fazermos o monitoramento e o processo de criação do Cemaden representou uma inovação metodológica”.

Pesquisa

A pesquisa no Cemaden tem como objetivo geral desenvolver atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, de forma interdisciplinar, integrando disciplinas nas áreas de meteorologia, agrometeorologia, hidrologia, geologia e geotecnia, sensoriamento remoto e desastres naturais, com ênfase na previsão, preparação, prevenção e mitigação do impacto das ameaças naturais em áreas urbanas e rurais, com o objetivo de reduzir mortes e perdas materiais.

Acesse as atividades do dia do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais no canal: www.youtube.com/mctic

Essa programação e outras do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações está disponível no site: https://semanact.mcti.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *